ARTISTA

fabiola_xavier_lab_foto_contemporanea.jpg

Fabiola Xavier

@afabiolaxavier

Professora de línguas por opção, artista das aleatoriedades nas horas azuis. Coleciona hobbies: teatro, música, escrita, cerâmica, pintura, fotografia. Logo, se identifica mais com o termo hobbista, uma verdadeira amadora! Nasceu no Rio, cresceu por aí. Atualmente se esconde num pedacinho de verde carioca. Além disso, é fã do realismo fantástico latinoamericano e uma grande entusiasta das causas perdidas (e um pouco perdida em si só). Adora usar parênteses, repetir palavras, ler sobre distopia e aguar as plantas. Em suma, uma grande fazedora de coisas aleatórias.

ATÉ QUE AS ÁGUAS SE AJOELHEM | 2021

MEU AMANHECER VAI SER DE NOITE

Um dia eu não dormi e reparei que tinha chegado a epidemia. Tinha lido sobre ela num livro de realismo fantástico desses que só contam com nossa imaginação para entender certas coisas.

 

Nas primeiras noites eu achei que era algo passageiro, que era só uma situação isolada. Com o passar dos dias o medo começou a crescer: dia e noite avançava e meus olhos não fechavam. Quando me dei conta estava arrumando a casa, cozinha, aguando as plantas, preparando as aulas: tudo na hora mais calma. Não sei o que houve com meu cérebro, ele não queria dormir. As ideias, as palavras, as músicas passavam como eletricidade e conduziam dentro de mim um mundo paralelo. Passei a não lutar mais contra aquela agonia.

 

Os pássaros cantam, os olhos não fecham.  Qual o limite? Qual o limite do medo, medo de perder o tempo?

 

Vai entender, o meu amanhecer foi mesmo de noite.