ARTISTA

vilma_blondet_lab_foto_contemporanea.jpg

VILMA BLONDET

@vilmablondet

Nutricionista, Mestre em Nutrição Humana pela UFRJ, Doutora em Ciência de Alimentos pela UFRJ, professora e pesquisadora – aposendada - da Universidade Federal Fluminense. Fotógrafa, pela Sociedade Fluminense de Fotografia. Apresentação de fotos na projeção “Quintas Fotográficas” na Galeria Octávio do Prado, na Sociedade Fluminense de Fotografia, em outubro de 2019. Participação no Concurso de Fotografia da Academia Fluminense de Letras 2019, sobre o tema “O Livro”, tendo duas fotos selecionadas para exposição na Galeria Octávio do Prado, na Sociedade Fluminense de Fotografia, em dezembro de 2019.Participação no grupo “Lab Foto Contemporânea”, coordenado pelo professor Leonardo Ramadinha.

ATÉ QUE AS ÁGUAS SE AJOELHEM | 2021

 

TEMPO DE RESISTIR

A escolha pelo uso do grafite como expressão poética, neste trabalho, parte do interesse de mostrar o que as ruas falam, como isso se relaciona ao momento de vida, a questões políticas e sociais que me cercam e que falam, de alguma forma, acerca de meus sentimentos. Tento assim apresentar os conflitos cotidianos aos quais estamos quase que diariamente submetidos; não exclusivamente por palavras, mas sim usando imagens grafitadas. Transfiro o grafite, enquanto manifestação político-social, para a fotografia contemporânea mantendo a sua mensagem inicial, porém com modificações poético-sentimentais, ressignificando a imagem com base no ponto de vista do olhar autoral.

ENTRE-LUGARES, TEMPOS | 2020

 

AOS MEUS OLHOS

livro-capa-vilma-blondet.jpg

Aos meus olhos

Percebo a presença ausente,

Junto à solidão torturante

Do dia a dia, na rotina dos cuidados.

 

Aos meus ouvidos,

Um ritmo de palavras sem nexo

De uma canção sem harmonia

Que poucos ouvem e reconhecem.

 

Nos seus olhos,

Diferentes olhares e expressões

Diferentes eus

Quase sempre distante

Pouco presente

Por vezes triste? Zangado? Às vezes safado!

Constantemente distante

O vazio se manifesta

No olhar perdido ao longe

A presença se torna ausente

O passado, cada vez mais presente.

 

Nos seus olhos,

A saudade e a tristeza se manifestam e se misturam

Com a certeza da rendição

Prisioneira voluntária

As juras de amor, que mesmo no passado,

Ainda hoje se mantém presente

E que alimenta e dá força

Mantendo o amor vivo

Na promessa Juntos até que a morte nos separe

IMAGENS